quinta-feira, 4 de abril de 2013

Chuva, fila e Andy Warhol!


warhol4Uma das coisas que mais gosto em Hong Kong é a possibilidade de fazer a cada dia uma atividade cultural diferente. Isso só é possível porque a cidade oferece muitos eventos nacionais e internacionais: festivais pra cá, feiras pra lá, torneios pra acolá, o que torna a vida cultural bastante diversificada.
Eu, por exemplo, adoro esse tipo de programa, só que a maior parte da população também gosta, isso significa que é preciso ter muita paciência e boa vontade pra enfrentar a maratona de filas pra essas atividades, sobretudo durante os fins de semana.
No domingo passado, achei que já estava na hora de dar uma chegadinha lá no Hong Kong Museum of Art - onde está sendo exibida a exposição 15 Minutes Eternal, do americano Andy Warhol. Uma excelente ideia para um Domingo de Páscoa chuvoso, sem nada interessante pra fazer em casa.
Pessoal, tomei um susto, a  fila para comprar as entradas estava enorme. As pessoas, que não se intimidaram com a chuva, iam avançando na velocidade da lesma... E eu lá, firme e forte, esperando chegar a minha vez. Finalmente consegui entrar no museu, foi aí que percebi que lá dentro também havia fila para entrar nas salas da exposição. Precisei ficar esperando na porta até que as pessoas que estavam dentro fossem saindo, coisa normal por aqui! Acontece que eu ainda nao me acostumei com a quantidade de pessoas, então comecei logo a reclamar e a me queixar, o que me fez levar um bom puxão de orelha do marido que, ao contrário de mim, é  bem paciente.
Eu não sei se todos vocês conhecem Andy Warhol, mas acredito que mesmo aquelas pessoas que nunca ouviram falar nada sobre esse artista já devem ter visto imagens suas estampadas por aí. Como por exemplo, aquela famosa fotografia da Marilyn Monroe, trabalhada com cores bem espalhafatosas, e também a imagem da lata de sopa Campbell's, lembraram? 
Pois é, essas também eram as únicas imagens que eu associava a ele: a lata e Marilyn!!
warhol
Marilyn Monroe

Black Bean 1968 by Andy Warhol 1928-1987
A famosa lata de sopa!
Andy Warhol, auto-retrato
Andy Warhol, auto-retrato

Warhol era muito criativo, iniciou sua carreira como ilustrador comercial, mas sua sensibilidade para a arte contemporânea, sua experiência e habilidade foram fundamentais para preparar o caminho pra um ambiente novo na arte americana. É impossível pensar em Pop Art sem pensar em Andy Warhol. A exposição 15 Minutes Eternal marca o aniversário de 25 anos de sua morte. Seu rico repertório de obras está agora aqui em Hong Kong à disposição de quem tiver tempo e interesse para conhecê-lo.
Mas, qual a razão de falar sobre a exposição desse artista? Então, na verdade o post não é só pra falar sobre Warhol, mas para contar pra vocês o quanto Hong Kong é uma cidade interessante e cosmopolita. É também pra dizer que Hong Kong, culturalmente, é uma cidade rica. Aqui, nós não ficamos limitados a conhecer apenas a arte chinesa, porque tem de tudo, para todos os gostos e para todas as idades. Só fica em casa entediado e sem fazer nada interessante quem realmente quer.
E, na saída, depois de ter ficado bastante impaciente e irritada por conta da quantidade de público, dei de cara com uma frase do próprio Andy Warhol estampada na parede do museu: Pop Art is for everyone!
É verdade, Warhol, desculpa aí o mau jeito!



3 comentários:

  1. Hong Kong deve ser beeeemmm cosmopolita mesmo... Também associava bem a ele a imagem da Marilyn, hehe... Já comecei a ver um filme com a Sienna Miller fazendo o papel de uma das musas dele... Continua sempre escrevendo sobre as coisas que tu faz aí... É tão legal!!!! Tais lendo o mesmo livro ainda??? Day, ando tãããooo devagar pra ler, credo... Beijãooo e um lindo fim de semana...

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aliny!
    Eu também leio devagar, muitas vezes fico naquela fase em que nenhuma leitura agrada e acabo começando vários livros e não terminando nenhum... Atualmente estou lendo 1Q84, de Murakami, que são três volumes com mais de 500 pag cada, mas já estou na reta final, acho que no fim de semana termino, e aí vou dar um tempo nesse escritor. O livro do Emmanuel Carrere tá meio que estacionado, é uma leitura meio pesada, mais logo retomo.
    Pode deixar, sempre que puder venho aqui contar um pouquinho sobre Hong Kong.
    Bom fim de semana pra vc também.

    Ps:. Eu não conheço esse filme com a Siena Miller, como chama?


    ResponderExcluir